Sistemas de impressão à tinta

Princípios de Funcionamento de impressão à tinta

 

Atualmente, o método de impressão mais popular é o chamado “jato de tinta”, mas como ele funciona?

Impressões à tinta, em sua maioria, consistem basicamente de um reservatório com tinta líquida, popularmente conhecido por “cartucho”, e o conjunto de bicos ou cabeça de impressão, que expele a tinta contra o substrato. As cabeças de impressão possuem centenas de micro orifícios, na verdade, quanto maior a definição de impressão, maior é a quantidade destes micro orifícios, onde se encontram minúsculas câmaras que expelem uma pequena quantidade de tinta, da ordem de alguns picolitros.

As impressoras mais comuns, como a grande maioria das impressoras HP, Canon e Lexmark, utilizam um cartucho integrado, que agrega os dois dispositivos, cabeça e reservatório. Isto se deve, principalmente pela durabilidade das cabeças de impressão, pois os fabricantes citados utilizam um sistema térmico para expelir a tinta, dentro destas micro câmaras, se encontram minúsculas resistências que aquecem uma pequena quantidade de tinta, a temperaturas de até 400ºC. Esse aquecimento, que ocorre em frações de segundos, provoca a formação de uma bolha de vapor dentro destas micro câmaras, expelindo uma gotícula de tinta a grande velocidade contra o papel. Esta pequena resistência é resfriada em seguida pela tinta nova que chaga ao compartimento, para ser novamente expelida. Quando ocorre alguma falha no fluxo de tinta, a resistência não é resfriada adequadamente e tende a queimar-se. Desta forma, uma cabeça de menor durabilidade agregada a um reservatório de pequena capacidade (5 a 7 ml, na maioria das vezes) torna o cartucho original o suprimento “descartável” ideal para as grandes fabricantes, pois exige a substituição constante destes cartuchos, para permitir o funcionamento contínuo de suas impressoras.

Nós, como empreendedores do mercado de reciclagem de cartuchos, temos que utilizar insumos da melhor qualidade possível para manter estes cartuchos descartáveis em condição de uso por mais ciclos de recarga. Tintas de melhor qualidade, e a correta limpeza interna e lavagem do sistema com um fluido de limpeza adequado e sem amônia e outros corrosivos manterão o fluxo de tinta entre o reservatório e a cabeça de impressão em nível constante, evitando as temíveis falhas que condenarão as delicadas cabeças de impressão.

Outros fabricantes, apostaram em outro método para expelir a tinta contra o papel. A Epson e a Brother, por exemplo, baseiam-se nas propriedades que certos cristais possuem de vibrar ao receberem uma corrente elétrica, é o efeito Piezoelétrico. Estes cristais vibram em alta freqüência e cada pulso desta vibração empurra uma pequena quantidade de tinta pelos orifícios da cabeça de impressão. Esta alta freqüência de vibração também é conhecida por freqüência ultra-sônica, por isso é comum afirmar que o método de impressão da Epson é Ultra-Sônico.

Como o método piezoelétrico não gera tanto calor, a durabilidade das cabeças de impressão é maior, e a maioria de seus problemas pode ser facilmente resolvidos com a utilização de fluidos de limpeza isentos de amônia e outros corrosivos. Os danos permanentes a estas cabeças geralmente são causados por tintas de má qualidade, que secaram nos finos canais da cabeça de impressão ou que contêm aditivos corrosivos em sua composição, e que acabam por danificar os delicados cristais piezoelétricos.

Cada tipo de cartucho, tem uma tinta específica para sua utilização.

Os cartuchos HP mais antigos, como os cartuchos 21/22/27/28/56 e 57 não devem utilizar a mesma tinta que os mais modernos 60/94/96/97 e 99, pois estes, mais recentes, possuem canais e orifícios mais finos, o que requer tintas mais finas e fluidas, para manter a boa qualidade de impressão. Como exemplo, citamos as tintas Sensient IJD 5766/5726/5744 (C/M/Y) para os cartuchos do primeiro grupo, e as novas tintas Sensient IJD 9560/9520/9541 (C/M/Y) para o grupo mais recente. Para os cartuchos pretos, a Sensient possui a tinta Pigmentada Preta PDJ 310 que atende aos dois grupos, que requer os mesmos cuidados de lavagem e limpeza dos cartuchos a cada ciclo de reabastecimento. A nova tinta Sensient Pigmentada Preta PDJ 9800 está a um passo a frente. Por ter sua composição livre de resinas e polímeros, ela não aglutina formando borras que causam entupimentos e não reage com a esponja, e por isso, após o primeiro ciclo de recarga, onde o cartucho é desmontado e tem sua esponja substituída (em alguns casos, nesta etapa aproveita-se para remover as paredes internas e aumentar sua capacidade), quando este cartucho com esta nova tinta retorna ao reciclador ele dispensa uma nova abertura e lavagem, bastando reenchê-lo, poupando tempo e dinheiro do reciclador.

Para os cartuchos Epson, a Sensient dispõe de tintas com o exclusivo aditivo “Nozzle Cleaner”, que dilui pequenas incrustrações à medida em que elas se formam, geralmente por pouca utilização da impressora, mantendo a qualidade de impressão sempre em alto nível, e com proteção UV, que evita desbotamentos. São elas as tintas da série PEI 8100, pigmentada, e as corantes uso geral EPS com 4 cores e fotográfica EPI 4800 com 6 cores, compatíveis com a linha fotográfica Epson Claria.